até agora...

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Novas artes...

Olá queridas (os), passei para mostrar minhas últimas artes, espero que gostem.
Voltei a fazer flores com garrafas pet, e o resultado foi ... Vaso de Hortências. Deu um trabalhão, mas acho que valeu a pena.


Ele achou também. Veio correndo beijar as flores.
Olhem que lindinho.
Esse é um arranjo de Peperonia, bem facinho de fazer.

Aqui a plaquinha para o número do nosso Palácio, usei motivos marinhos, afinal moro no litoral, então vou tentar fazer um típico Palácio de Pescadores (rs, rs, rs), com chita, madeira de demolição, muito artesanato.
O que acharam da Arteira aqui hein, hein?

Beijos Mágicos

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Pára tudo, só um pouquinho...

Queridas(os), ando sumidinha, eu sei, mas estou meio down, sabe? TPM, muito calor, falta de inspiração, tudo ao mesmo tempo, que fui obrigada ficar quietinha um pouco.
É assim que me sinto nos últimos dias.


Tenho poucas novidades, uma delas é que chegaram as pedras para começar meu muro, vai ficar lindo, esperem pra ver, ou melhor mandem sugestões, pretendemos fazê-lo com pedras e grades, o mais rústico e romântico possivel, vou aguardar, tá?

Outra novidade e não tão boa, é que a Meg foi embora. Peço desculpas queridas(os), mas prefiro não dar detalhes de mais essa perda.
Então é isso, um post rapidinho para dizer que aconteça o que acontecer não esqueço vocês.

Beijos mágicos

sábado, 6 de fevereiro de 2010

A morte...

Minha visão de morte nada tem a ver com tristeza, acredito que seja a libertação de um casulo como ocorre com a belissima borboleta, mas fico triste sim, muito triste.
Fico triste por quem fica, por quem ama, por quem viverá sem a presença.
Acredito que somos seres egoístas, tanto no amor como na dor.
Precisamos dos outros, precisamos amar e sermos amados, precisamos dividir e somar, somos incompletos a procura de pedaços espalhados pelo mundo, e quando um pedaço desses se vai pra sempre ficamos como um quebra-cabeças faltando peças.
Perdi meu avô.
E embora fossemos distantes lembro cada momento vivido a seu lado.
Homem rude, seco, direto. Contador de "causos" que cresci ouvindo e recontando com orgulho.
Que os anjos te recebam e tua alma enfim tenha paz!

Pedro Querino da Silva (01/03/1918 - 05/02/2010)

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin